Dietoterapia Chinesa Como Recurso de Tratamento na Obesidade | Por Vânia Santos

Tempo de leitura: 3 minutos

A Dietoterapia Chinesa (Yin Shi Zhi Liao Fa) constitui um dos pilares mais importantes da Medicina Tradicional Chinesa, é conhecida tanto para preservação da saúde como método de tratamento. Os alimentos são sugeridos em suas respectivas característica e qualidades energéticas, conforme condição de saúde de cada indivíduo. Na época em que a Medicina Chinesa surgiu, não havia o conhecimento de carboidratos, proteínas ou lipídios, portanto o estudo da direção do QI (energia) das naturezas do Yin e Yang permaneceu como fator principal na escolha dos alimentos e das ervas para tratamento.    

O corpo carrega uma história, a história de cada um. Ele registra o histórico de alimentação, disposição, vitórias, derrotas, lutas, desafios, entraves e mudanças. Ele carrega informações dos pais não só na essência (Jing), mas também no rosto e nas atitudes consciente ou inconscientes.   

Os estudos mostram que o ganho de peso está associado à estado de inflamação, quando as células do organismo ficam inchadas e avermelhadas. Segundo Makowshi et al (2012), “a obesidade é um estado inflamação crônica”.

A umidade patogênica (Shi) é muito prejudicial ao organismo por diversos motivos, um deles dificultar circulação de sangue (Xue) e energia (Qi) ao longo do corpo e dos canais de energia (Jing luo). Ela pode instalar como massa, gorduras, nódulos e cistos, pode dar origem ao fleuma, secreção, edemas entre outras manifestações. Também pode ir para o cérebro, perturbar as funções cognitivas e embotar a mente (Shen), contribui para ganho de peso e pode atrapalhar a absorção de nutrientes.  Na visão oriental, um processo inflamatório está relacionado com calor interno e, na maioria das vezes, com umidade patogênica, visível em indivíduos em estado de estresse e ansiedade.                

Tratamento

Na Medicina Tradicional Chinesa, que associa a Dietoterapia Chinesa é feito a partir da natureza da doença, através do diagnóstico.  A identificação da síndrome determina o princípio do tratamento.  A dietoterapia, portanto, consiste em combinar um conjunto de alimentos e atividades que vão retardar a desarmonia apresentada, proporcionando-lhe o equilíbrio necessário conforme a visão oriental.

HORÁRIOS ADEQUADOS PARA ALIMENTAÇÃO                                    

Cada um dos órgãos, segundo a Medicina Chinesa, tem um período do dia em que sua capacidade funcional e energética é máxima, por isso alimentação deve acompanhar este ciclo quando o órgão está em plena atividade.    

Muitos hábitos podem ser difíceis de mudar por conta da sociedade em que se vive, para se tornar mais saudável requer um esforço inicial. Portanto, organização, disciplina, paciência e limpeza são valores que nos trazem para momento presente. Para cuidar da saúde e imprescindível olhar para si mesmo, pois nos mantem no agora.  Afinal estamos comendo somente para sobreviver ou para viver melhor? Quanto mais você se conhece, mais poderá entender como seu organismo funciona.       

Referências:   

Andrea Maciel Arantes – DIETOTERAPIA CHINESA – Nutrição para corpo, mente e espirito – Rio de Janeiro: Roca, 2016

Andrea Maciel Arantes –SAÚDE E LONGEVIDADE NA MESA   – Dez passos para escolha diária dos alimentos com Dietoterapia Chinesa – Rio de Janeiro: Roca, 2016

Fernanda Mara dos Santos – ALIMENTAÇÃO TERAPEUTICA CHINESA – São Paulo – Editora Inserir, 2018

1 – IMAGEM –   https://ruygripp.com.br/2018/11/09/obesidade-dieta-a-vitoria-do-bom-senso/ Julho 2020

2 – IMAGEM https://projetomandala.com.br/especialidades/dietoterapia / julho-2020

   


Vânia Santos é enfermeira (Coren-SP 181.455), especialista em Medicina Tradicional Chinesa/Saúde Integral e professora de Acupuntura e Coordenadora do Ambulatório no Instituto Long Tao.

Este texto foi enviado pelo profissional mencionado e seu conteúdo é de sua total responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *