Gota na Visão Medicina Tradicional Chinesa | Por Vânia Santos

Tempo de leitura: 5 minutos

A gota, conhecida também como artrite gotosa, é uma doença reumática causada pela elevação dos níveis de ácido úrico no sangue (hiperuricemia). A substância, por sua vez, surge como resultado da decomposição de purinas — proteína contida em diversos alimentos. Quando o excesso de produção do ácido úrico não é eliminado pelos rins, ele acaba se acumulando nas articulações, formando pequenos cristais de uratos de sódio e despertando os surtos dolorosos da doença.

Sintomas

A gota pode causar dor e inchaço em qualquer articulação, mas afeta principalmente os membros inferiores, como os tornozelos e o Halux (dedão do pé). A doença pode provocar também o aumento da temperatura e vermelhidão nas regiões acometidas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a dor, na maior parte dos casos, começa durante a madrugada e é intensa o suficiente para despertar a pessoa.

Além disso, o paciente pode sofrer com cólicas renais e apresentar depósitos de cristais de ácido úrico debaixo da pele também, formando protuberâncias nos dedos, cotovelos, joelhos, pés e orelhas. Caso a pessoa não receba o tratamento adequado, as crises podem evoluir rapidamente para dores mais fortes, podendo permanecer nesse estágio ao longo de uma semana ou mais.

Diagnóstico da gota

Além da apuração do histórico familiar do paciente, o diagnóstico é feito por meio da análise física e alguns exames complementares, como a dosagem de ácido úrico no sangue e na urina. É possível também que o médico solicite exames de imagem como raio-X, ultrassom e tomografia computadorizada para identificar o problema.

Fatores de risco 

Problemas de saúde: como hipertensão, diabetes, colesterol alto e aterosclerose.

Sexo: a gota é mais comum em homens. Isso porque o estrogênio — hormônio sexual feminino — ajuda na eliminação do excesso de ácido úrico.

Idade: Após os 40 anos, os rins têm mais dificuldade para realizar a filtragem do ácido úrico, o que provoca o acúmulo dos níveis da substância no sangue. Nas mulheres após a menopausa.

Ingestão exagerada de álcool: principalmente a cerveja, que possui altos níveis de purina.

Obesidade: Além de as pessoas com quadros de obesidade consumirem mais alimentos que contenham purina, suas articulações sofrem uma maior pressão devido ao excesso de peso.

Alguns medicamentos: como aspirina, diuréticos tiazídicos (utilizados no tratamento da hipertensão) e imunossupressores (indicados para pacientes que passaram por transplante de órgão) também contribuem para o surgimento da doença.

Tratamento da gota

A doença não tem cura, mas o tratamento adequado é capaz de controlar os seus surtos dolorosos. As crises agudas de gota podem ser contidas com o uso de colchicina, anti-inflamatórios não hormonais e corticoides, ao serem amenizadas, é preciso incluir também medicamentos específicos para diminuir os níveis de ácido úrico no organismo. Quando a doença prejudica os movimentos articulares, a intervenção cirúrgica também pode ser recomendada.  

Na visão da Medicina Tradicional Chinesa

Na Medicina Chinesa a doença é considerada uma desarmonia do corpo inteiro que produz síndromes patológicas energéticas, manifestadas em sintomas e sinais. O tratamento aspira em expelir os agentes patogénicos (se presentes), promover a força vital Qi (Energia) e restituir o equilíbrio da constituição.

Para a Medicina Chinesa a gota é resultante de uma deficiência no sistema do Baço-Pâncreas que provoca estagnação do Qi (Energia) e Xue (Sangue) nos canais energéticos. O acúmulo de estase e calor ou fleuma nas articulações, é causada por uma formação de mucosidade que aflige a energia do Baço-Pâncreas, estagnação da energia de Qi (Energia) e por isso ele perde a capacidade de conversão alimentos. Essa estagnação de energia representa muitas vezes alterações emocionais, principalmente relacionado ao excesso de preocupação e ansiedade.  

  • Deficiência Baço-Pâncreas 
  • Deficiência Yin Rim
  • Estagnação de Qi (Energia) e Xue (Sangue)

Tratamento pela Medicina Tradicional Chinesa

No diagnostico pela Medicina Tradicional Chinesa é possível distinguir onde ela começa e quais os caminhos evolutivos que ela pode tomar, assim identificando as causas, excessos ou deficiências. Toda síndrome no primeiro momento gera calor e só depois volta a sua origem, exceto umidade que gera muco depois fleuma.

O princípio do tratamento é para remover o excesso de umidade e calor, assim aumenta o fluxo   sanguíneo, reduzir a dor, inflamação, vermelhidão, calor, edema devido ao acúmulo de cristais de ácido úrico.

No tratamento é possível utilizar técnicas de acordo com diagnóstico Medicina Tradicional Chinesa, como: Acupuntura, Auriculoterapia, Dietoterápica Chinesa, Fitoterapia, Laserterapia, Laserpuntura, Magnoterapia, Moxaterapia, Stiperterapia, Ventosaterapia. Mudanças no estilo de vida são importantes no processo de melhora.  

Referências

Praticas da Medicina Tradicional Chinesa – Professor Xie Zhufan –Editora Ícone – São Paulo –  2009

Alimentação Terapêutica Chinesa – Fernanda Mara dos Santos Editora Inserir – São Paulo – 2018

Diagnostico da Medicina Chinesa – Giovanni Maciocia – São Paulo Roca, 2005

Laser em Acupuntura- teorias e práticas – Luiz Carlos Fornazieri – Editora Roca 

Institutomongeralaegon.org/longevidade-e-saude/saude-fisica/gota – Acesso Agosto/ 2020

https://www.cetn.com.br/imprensa/tratamento-de-gota-pela-medicina-tradicional-chinesa – Acesso Agosto / 2020

https://www.acupunturadratamara.com.br – setembro/2020

http://acupunturachinesataoista.blogspot.com/2013/03/gota-e-medicina-chinesa-gota-e-uma.html- Acesso setembro / 2020

https://www.tiandiren.pt/home/a-gota-e-a-medicina-tradicional-chinesa/ Acesso setembro 2020


Vânia Santos é enfermeira (Coren-SP 181.455), especialista em Medicina Tradicional Chinesa/Saúde Integral e professora de Acupuntura e Coordenadora do Ambulatório no Instituto Long Tao.

Este texto foi enviado pelo profissional mencionado e seu conteúdo é de sua total responsabilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *